Pesquisador@s do grupo

4

Adna Candido de Paula. A imaginação como um problema filosófico. É docente e pesquisadora da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Campus JK. Está vinculada à Faculdade Interdisciplinar em Humanidades e ao Mestrado profissional Interdisciplinar em Ciências Humanas.  Mais informações em https://ufvjm.academia.edu/AdnaPaula.

Ana Claudia Fabre Eltermann. O lugar das línguas africanas nos discursos sobre brasilidade linguística. 2016-2018. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina. Doutorado em andamento: início em 2018.

Alexandre Cohn da Silveira. Discursos sobre a língua (portuguesa) em Timor Leste: entre colonialismos e resistências. 2015-2018. Tese (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Docente da UNILAB-Campus do Malês.

Ashraf Abdelhay. Atua no Doha Institute for Graduate Studies (Qatar). Doutor em sociolinguística pela Universidade de Edinburgh (2008). Trabalha com políticas linguísticas na África e Oriente Médio, com enfoque na língua árabe. Foi organizador, junto com  Kasper Juffermans e Yonas Asfahan, do livro African Literacies: Ideologies, Scripts, Education  (Cambridge Publishing Scholars, 2014).

Beatriz de Oliveira. “A gente tá apenas em construção, construindo nossa forma, tentando achar a forma ideal pra fazer uma educação diferenciada, e que nós queremos”: A licenciatura intercultural indígena da UFSC e as políticas linguísticas. Trabalho de Conclusão de Curso de Letras-Português, 2018. Mestranda em Linguística (2019-2021).

Carla Regina Martins Valle. Pós-Doutoranda. Universidade Federal de Santa Catarina, PPGLg. 2015-2018. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Docente da UDESC.

Charlott Eloize Leviski. Políticas externas de língua portuguesa em contextos pós-coloniais. Início: 2015. Tese (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Christiane da Silva Dias. Metodologia de pesquisa como dispositivo: implicações para as políticas linguísticas. Início: 2016. Tese (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina.

Clóvis Alencar Butzge. Políticas linguísticas na fronteira Argentina-Brasil: uma análise crítica da instituição do espanhol e do português como línguas de integração. Início: 2016. Tese (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina e docente na Universidade Federal da Fronteira Sul.

Cristian Edevaldo Goulart. O dispositivo da imigração: subjetividades e políticas linguísticas. 2016-2018. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina. outorado em andamento: início em 2018.

Cristine Gorski Severo. A produção colonial das línguas na América Latina e suas heranças contemporâneas. É docente e pesquisadora na Universidade Federal de Santa Catarina/Departamento de Língua e Literatura Vernáculas e do Programa de Pós-Graduação em Linguística. Mais informações em https://ufsc.academia.edu/CristineSevero.

Daniel Peres Sassuco. Línguas nacionais em Angola. É docente da Universidade Agostinho Neto (Angola) e atuou como chefe do Departamento de Línguas e Literaturas Africanas. Trabalha com a recolha de dados orais junto a populações angolanas, com vista a elaborar os manuais de apoio aos estudantes.

Ezequiel Pedro José Bernardo.  Política Linguística para o ensino bilíngue em Angola. 2016-2018. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina, CNPq/PEC-PG; Instituto Superior de Ciências da Educação – Cabinda, ISCED – CABINDA, Angola.

Ezra Alberto Chambal Nhampoca. Ideofones do Changana na perspectiva da Linguística Cognitiva. 2014-2018. (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina, CNPq/PEC-PG; Universidade Eduardo Mondlane Moçambique.

Heloísa Tramontim de Oliveira. Línguas em África: Indexações de poder e hibridizações de resistência. Início: 2016. Tese (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina.

Lilian Keide Arnhold De Azevedo. A heterogeneidade do Hunsrückisch em Salvador do Sul: formas de discursivização e políticas linguísticas. 2014-2016. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Nathalia Müller Camozzato. O Samba em Pessoa: Aracy de Almeida e o Dispositivo da Oralidade. 2015-2017. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Doutorado em andamento: início em 2017.

Nanblá GakranPolíticas linguísticas de revitalização e divulgação da língua Xokleng. Mestre em Linguística pela UNICAMP (2005). Doutor em Linguística Indígena pela Universidade de Brasília UNB (2015). Pós Doutorado em Políticas Linguísticas pela UFSC (2017-2018). Tem experiência na área em Lingüística e Línguas Indígenas. É índio da etnia Xokleng/Laklãnõ; nasceu e se criou na Terra Indígena Laklãnõ/SC. Sua primeira língua é Língua Xokleng/ Laklãnõ.

Silvana Aguiar dos SantosInterpretação de Português/Libras em contextos comunitários: mapeamento de diferentes contextos, descrição e análise. É docente e pesquisadora na Universidade Federal de Santa Catarina, lotada no Departamento de Artes e Libras.

Sara Farias da Silva. Política Linguística no Québec: do processo de imigração do brasileiro e o devenir québécois. 2014-2018. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Lingüística da UFSC) – Universidade Federal de Santa Catarina.

Sinfree Bullock Makoni. Linguística Colonial e Pós-Colonial em África. É professor e pesquisador do Departamento de Linguística Aplicada e do Centro de Estudos Africanos da Universidade Estadual da Pensilvânia/Estados Unidos. Atua nas áreas de políticas linguísticas coloniais e críticas em África; análise dos discursos sobre o terrorismo; filosofia da linguagem; relação entre língua e envelhecimento em África.

Vanessa Elsas Porfírio de Faria. Políticas Linguísticas e EJA. Início: 2015. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Lingüística da UFSC) – Universidade Federal de Santa Catarina.

Vinícius Marcelo Pereira da Silva. Representações sobre as línguas e as heranças africanas na obra de Câmara Cascudo. 2017-2018. Iniciação científica  em Letras-Português. Universidade Federal de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.