Pesquisador@s do grupo

4

COORDENAÇÃO DO GRUPO:

Cristine Gorski Severo (2012-atual).  Docente e pesquisadora na Universidade Federal de Santa Catarina/Departamento de Língua e Literatura Vernáculas, do Programa de Pós-Graduação em Linguística e do Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas (UFSC). Mais informações em https://ufsc.academia.edu/CristineSevero.

Ricardo Nascimento Abreu (2017-atual). Docente e pesquisador da Universidade federal de Sergipe, lotado no Centro de Educação de Ciências Humanas, Departamento de Letras. Pesquisa: Dos Direitos Linguísticos como campo de pesquisa e intervenção.

PESQUISADORA/ES BRASILEIRA/OS:

DOCENTES

Adna Candido de Paula (2012-atual). Docente da Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, da UFVJM. É coordenadora do NUPEDE – Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão sobre Diáspora Africana (NUPED/UFVJM). Atua na linha de pesquisa Estudos contemporâneos: Estado, trabalho, tecnologia e relações étnico-raciais. 

Alexandre Cohn da Silveira (2015-atual). Docente da UNILAB-Campus do Malês. Pesquisa: Discursos sobre a língua (portuguesa) em Timor Leste: entre colonialismos e resistências.  (Doutorado em Lingüística, 2015-2018), Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Carla Regina Martins Valle (2015-2018). Docente da Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Letras. Coordenadora do  Laboratório de estudos de variação linguística e práticas pedagógicas.

Charlott Eloize Leviski (2015-atual). Professora colaboradora da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Pesquisa: Políticas externas de língua portuguesa em contextos pós-coloniais.

Clóvis Alencar Butzge (2016-atual). Docente na Universidade Federal da Fronteira Sul. Políticas linguísticas na fronteira Argentina-Brasil: uma análise crítica da instituição do espanhol e do português como línguas de integração (Doutorado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina.

Cristine Gorski Severo (2012-atual). Docente e pesquisadora na Universidade Federal de Santa Catarina/Departamento de Língua e Literatura Vernáculas, do Programa de Pós-Graduação em Linguística e do Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas (UFSC). Mais informações em https://ufsc.academia.edu/CristineSevero.

Fernanda dos Santos Castelano Rodrigues (2020-atual). Docente de Língua Espanhola e suas Literaturas da Universidade Federal de São Carlos e docente no Programa de Pós-Graduação em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-americana do Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Membro da Associação de Professores de Espanhol do Estado de São Paulo (APEESP) e da Associação Brasileira de Hispanistas (ABH).

Jael Sânera Sigales Gonçalves (2020-atual). Mestre e Doutora em Letras pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel); Mestre (2018) em Direito pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Atualmente realiza pós-doutorado no Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas (IEL/Unicamp).Lidera o Grupo de Pesquisa Língua, Direito, Estado e Sociedade – GELIDES/CNPq. É Advogada e Técnica em Assuntos Educacionais do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul).

Julia Izabelle da Silva (2020-atual).  Professora substituta na Faculdade de Letras da UFG, na área de Língua Portuguesa. É membro e pesquisadora da Cátedra UNESCO em Políticas Linguísticas para o Multilinguismo, com sede na UFSC. Doutorado em Linguística na UFSC sobre direitos linguísticos dos povos indígenas no acesso à justiça.

Letícia Cao Ponso (2019-). Docente da Universidade Federal de Rio Grande e  do Programa de Pós-graduação em Linguística e Ensino de Língua Portuguesa. Atua como pesquisadora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas da Universidade Federal de Rio Grande (NEABI-FURG). Coordena o projeto “Escritas Afirmativas: repositório digital da produção de conhecimento de estudantes universitários indígenas e quilombolas.”

Nanblá Gakran (2017-atual). Mestre em Linguística pela UNICAMP (2005). Doutor em Linguística Indígena pela Universidade de Brasília UNB (2015). Pós Doutorado em Políticas Linguísticas pela UFSC (2017-2018). Tem experiência na área em Lingüística e Línguas Indígenas. Pertence à etnia Xokleng/Laklãnõ; nasceu e se criou na Terra Indígena Laklãnõ/SC. Sua primeira língua é Língua Xokleng/ Laklãnõ.

Paulo Sérgio da Silva Santos (2020-atual). Docente da Universidade Federal de Sergipe. Participa do grupo de pesquisa “Estudos em Linguagem, Interação e Sociedade” (GELINS). Orienta pesquisas em Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística voltadas ao Ensino de Língua Materna, Análise Crítica do Discurso, Políticas Linguísticas e Processos de Constitucionalização das Línguas.

Ricardo Nascimento Abreu (2017-atual). Docente e pesquisador da Universidade federal de Sergipe, lotado no Centro de Educação de Ciências Humanas, Departamento de Letras. Pesquisa: Dos Direitos Linguísticos como campo de pesquisa e intervenção.

Renata Maria Santos Ferreira (2017-atual). Docente do Instituto Federal do Paraná, no campus Campo Largo. Leciona língua portuguesa e inglesa no Ensino Médio Integrado, após ter sido coordenadora de relações internacionais dessa instituição. Teve ampla experiência em ensino de Língua Portuguesa para estrangeiros no Centro de Línguas da UFPR. Pesquisa as políticas de internacionalização de Universidades Federais.

Sara Farias da Silva (2016-atual). Doutora em Linguística. Pesquisa: Política Linguística no Québec: do processo de imigração do brasileiro e o devenir québécois.  (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC, 2014-2018). Coordenadora do convênio de pesquisa UFSC- Université de Montréal e o Centro de Pesquisa sobre as Políticas e o Desenvolvimento Social.

Silvana Aguiar dos Santos (2016-atual). Interpretação de Português/Libras em contextos comunitários: mapeamento de diferentes contextos, descrição e análise. É docente e pesquisadora na Universidade Federal de Santa Catarina, lotada no Departamento de Artes e Libras.

Vanessa Elsas Porfírio de Faria (2015-atual). Docente do Instituto Federal de Santa Catarina (Palhoça). Pesquisa: Políticas Linguísticas e EJA.

DISCENTES (Pós-graduação e graduação)

Ana Claudia Fabre Eltermann (2015-atual). Doutoranda na UFSC/PPGLg. Pesquisa: O lugar das línguas africanas nos discursos sobre brasilidade linguística.  (Mestrado em Lingüística 2016-2018), Universidade Federal de Santa Catarina. Doutorado em andamento.

Beatriz de Oliveira (2017-atual). A gente tá apenas em construção, construindo nossa forma, tentando achar a forma ideal pra fazer uma educação diferenciada, e que nós queremos”: A licenciatura intercultural indígena da UFSC e as políticas linguísticas. Trabalho de Conclusão de Curso de Letras-Português, 2018. Mestranda em Linguística (2019-2021).

Christiane da Silva Dias (2014-atual). É língua oficial de Timor-Leste, quer não quer nós temos que falar": reflexões sobre políticas e práticas linguísticas em Díli. 2014-2016. Dissertação de mestrado. Doutorado em andamento:  2016-atual. Universidade Federal de Santa Catarina.

Cristian Edevaldo Goulart (2016-atual). O dispositivo da imigração: subjetividades e políticas linguísticas. 2016-2018. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Universidade Federal de Santa Catarina. Doutorado em andamento: início em 2018.

Heloísa Tramontim de Oliveira (2013-atual). Língua, nação e nacionalismo em Angola: violência e resistência linguística. 2014-2016. Dissertação.  Tese (Doutorado em Lingüística) em andamento – Universidade Federal de Santa Catarina.

Vinícius Marcelo Pereira da Silva (2017-atual), Representações sobre as línguas e as heranças africanas na obra de Câmara Cascudo. 2017-2018. Iniciação científica  em Letras-Português. Universidade Federal de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

PESQUISADORA/ES ESTRANGEIRA/OS:

Ashraf Abdelha(2017-atual). Docente no Doha Institute for Graduate Studies (Qatar). Doutor em sociolinguística pela Universidade de Edinburgh (2008). Trabalha com políticas linguísticas na África e Oriente Médio, com enfoque na língua árabe. Foi organizador, junto com  Kasper Juffermans e Yonas Asfahan, do livro African Literacies: Ideologies, Scripts, Education  (Cambridge Publishing Scholars, 2014).

Daniel Peres Sassuco (2014-atual).  Docente da Universidade Agostinho Neto (Angola) e atuou como chefe do Departamento de Línguas e Literaturas Africanas. Investigador em Morfossintaxe de Línguas Bantu, Linguística Contrastiva, Sociolinguística e Políticas Linguísticas. Trabalha com a recolha de dados orais junto a populações angolanas, com vista a elaborar os manuais de apoio aos estudantes.

Ezequiel Pedro José Bernard(2016-atual). Docente do Instituto Superior de Ciências da Educação – Cabinda, ISCED – CABINDA, Angola. Pesquisa: Política Linguística para o ensino bilíngue em Angola. Dissertação (Mestrado em Lingüística, 2016-2018, UFSC).

Ezra Alberto Chambal Nhampoca (2015-atual). Docente da Universidade Eduardo Mondlane/Moçambique e coordenadora do Grupo de Estudos em Línguas, Linguística Bantu e Áreas Afins (GELLBAA), da Secção de Línguas Bantu. Pesquisa: Ideofones do Changana na perspectiva da Linguística Cognitiva (Doutorado em Lingüística, 2014-2018, UFSC).

Sinfree Bullock Makoni (2013-atual). Linguística Colonial e Pós-Colonial em África. É professor e pesquisador do Departamento de Linguística Aplicada e do Centro de Estudos Africanos da Universidade Estadual da Pensilvânia/Estados Unidos. Atua nas áreas de políticas linguísticas coloniais e críticas em África; análise dos discursos sobre o terrorismo; filosofia da linguagem; relação entre língua e envelhecimento em África.

 

PESQUISADORA/ES QUE JÁ INTEGRARAM O GRUPO:

Lilian Keide Arnhold De Azevedo (2014-2016). Mestrado em Lingüística (UFSC, 2014-2016): A heterogeneidade do Hunsrückisch em Salvador do Sul: formas de discursivização e políticas linguísticas.

Nathalia Müller Camozzato (2013-2017). Mestrado em Lingüística (UFSC, 2015-2017): O Samba em Pessoa: Aracy de Almeida e o Dispositivo da Oralidade.